Exposição levou o fundo do mar ao Museu do Meio Ambiente (JBRJ)

Entre junho e setembro de 2017, a exposição, com entrada franca, recebeu milhares de visitantes no Museu do Meio Ambiente, Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Esta foi mais uma iniciativa da Rede Abrolhos para divulgar os resultados do monitoramento de longo prazo realizado no Banco dos Abrolhos desde 2001. Esta região, localizada entre o sul da Bahia e o norte do Espírito Santo, abrange 46.000 km2 e representa um dos setores com maior biodiversidade marinha da plataforma continental brasileira.

Exposição montada no hall de entrada do Museu do Meio Ambiente, Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro.
Parte do material biológico coletado pelos pesquisadores ao longo de diversas expedições científicas ficou exposto ao grande público durante três meses.
Público diversificado prestigiou a inauguração da exposição no dia do aniversário de 209 anos do JBRJ, em 13 de junho de 2017.

Os visitantes conheceram o trabalho da Rede Abrolhos através de fotografias aéreas e submarinas, exemplares da fauna e da flora marinha e equipamentos utilizados pelos pesquisadores nas expedições científicas. Além disso, a exposição contou com a exibição contínua do documentário produzido pela Rede Abrolhos em 2016: “Banco dos Abrolhos: o maior complexo coralíneo do Atlântico Sul”.

Espécies, ambientes e técnicas de pesquisa empregadas no Banco dos Abrolhos foram reveladas ao público através de fotografias selecionadas do acervo de mais de 80 mil imagens da Rede Abrolhos.